Como se desenvolve a inteligência relacional?

Uma das distinções que Maturana traz é que primeiro a gente CONHECE, depois ENTENDE, e finalmente chega na AÇÃO ética. É como a teoria U: primeiro descemos, depois Presenciamos (que é o entender mais profundo) e então, a partir da força que esse presenciar enseja, impulsionamos uma Ação, bem mais coerente e com maior impacto no mundo.

Qual a diferença entre conhecer e entender? Confundimos essas duas palavras.

Quantas pessoas conhecem vc? Mas, quantas lhe entendem?

Na Inteligência relacional precisamos conhecer das relações, mas preciso entender o que me interessa conservar nas relações. Entender como funciono nas relações. Daí surge a ação ética. Como surjo na relação. Se estou numa relação contigo e estamos num conflito, o primeiro passo é conhece desse conflito. E aqui se faz uso das competências conversacionais: quais são os juízos, quais são as emoções, o que foi pedido…

Depois, vem o ENTENDIMENTO, o que isso tem a ver comigo? O que disso revela minhas dinâmicas relacionais (que é o ver de dentro, que é a real inteligência, que é gerar esse entendimento).

E aí, a AÇÃO ÉTICA, é quando a ficha cai. Que tem a ver com abrir novas conversas, estabelecer novos padrões relacionais e novos comportamentos. Por exemplo: me dou conta que fui orgulhosa, que não coloquei limites, que me desrespeitei… cada uma dessas possibilidades engatilha novas conversas.